quarta-feira, 19 de abril de 2017

10 Fatos que você precisa saber para dominar tudo sobre Xwave Metro

Aprenda tudo sobre Xwave Metro e suas possibilidades!

Montar um provedor de Internet com o Xwave Metro ou começar a usá-lo apenas para teste é relativamente simples e muito mais barato que as outras tecnologias FTTx ou FTTH. Neste artigo, irei listar dez das principais características técnicas deste produto que vai mudar o seu ponto de vista sobre redes de fibra óptica.

1  Ponto inicial da rede:
Sempre indicamos montar a sua rede em forma de anel para ter uma redundância na alimentação, o que será discutido no item 6, mas no início do anel, ou seja, o equipamento que antecede o primeiro Xwave Metro deve ser uma Routerboard que estará ligada ao roteador de saída. Imprescindível ser uma RB com, pelo menos, 2 portas SFP.


O CCR da imagem não possui as duas portas SFP necessárias, mas serve como ilustração

2  Fibra ponto a ponto para interligar as caixas:
Todas as caixas são ligadas através de cabo óptico respeitando a capacidade máxima do módulo SFP. A ligação em fibra parte da RB e vai para a primeira caixa Metro, depois para a segunda e assim em diante, até voltar a RB (mais detalhes no item 6). Desta maneira, o varal não é elétrico e reduz as chances de sinistro. A chance de queima é a mesma de uma ONU.

O Xwave Metro conta com 2 portas SFP. A segunda porta envia o cabo para a próxima caixa.

3  Alimentação:
A alimentação do Xwave Metro é PoE reverso, ou seja, os clientes que irão energizar as caixas. Basta ter um assinante conectado que o sistema todo já irá funcionar. Neste item, a flexibilidade da tecnologia aparece: ela é compatível para fontes de 12v a 56v e não precisa necessariamente padronizar todos os clientes na mesma voltagem, porém recomendamos trabalhar com 24v ou 48v. Levando em conta que o atendimento até o cliente é por cabo UTP RJ45, devemos respeitar o limite da tecnologia, mais ou menos 100 metros de comprimento máximo.

Fonte PoE comum para alimentar o Xwave Metro.

4  Quais módulos SFP (GBIC) usar:
Um dos pontos fortes da tecnologia Metro Ethernet é ser flexível e, por isso, ela aceita a grande maioria dos pares de módulo SFP do mercado. Claro que você deve sempre respeitar a distância máxima de cada modelo.
Qualquer módulo SFP pode ser usado no Xwave Metro.

5  Módulos de energia removíveis:
Um dos pontos mais fortes do Xwave Metro são os módulos de energia destacáveis. Eles podem ser retirados do equipamento e substituídos por outros em casos de queima. Essa é uma característica muito interessante, porque atualmente o mercado não fornece equipamentos muito seguros quanto a descargas elétricas - se queimou, troca todo o produto - mas no Xwave Metro não. Caso aconteça algum sinistro, dificilmente o switch será atingido.

Nas áreas destacadas, os módulos de energia removíveis.

6  A rede em forma de anel:
Desde o lançamento do produto, recomendamos aos clientes projetar a rede em forma de anel, conforme imagem abaixo, para obter uma redundância na alimentação. Com isso, caso todos os clientes de uma caixa desliguem a fonte ou ela seja atingida por uma descarga elétrica, a energia continua passando pelo outro lado do anel. Obviamente, não é obrigatório montar a rede neste formato, mas é extramente útil e serve como uma segurança a mais no atendimento aos assinantes. Outra dica interessante é que não existe um número mínimo ou máximo: o anel pode ser realizado com 2 caixas, 10 caixas ou 20. Depende somente da demanda e cenário específico.

Desenho ilustrativo da rede no formato de anel para obter a redundância na alimentação. 





























7  As Portas SFP e o Xwave Metro de 8 portas:
Neste item vou apresentar o segundo modelo Xwave Metro desenvolvido pela Computech, que conta com um switch de 8 portas + 2 portas SFP. Ele é a cópia perfeita do modelo de 16 portas em termos de estética e design, mas com duas diferenças técnicas: o número de portas, obviamente e, todas elas são gigabit ethernet, não só as SFPs, como é no caso do switch de 16 portas.

As duas portas SFP do Xwave Metro são gigabit.

Xwave Metro 8 portas  + 2 portas SFP.

8  Não precisa de ONU, OLT, OTDR, etc.:
Como a tecnologia Metro Ethernet se diferencia das redes PON (Passive Optical Network), ela não necessita das ONUs, OLTs, OTDRs, Splitter e cia, tornando a rede muito mais barata e flexível para implementar. Você só vai precisar da fibra óptica para ligar as caixas, cabo de rede para atender os clientes e fontes. Um produto que a Computech tem vendido bastante é o roteador PoE out WI-R1 da Wi-Tek, mesma fabricante dos switches do Xwave Metro. Ele nada mais é que um roteador Wi-Fi comum, mas com dois diferenciais: serve como switch para alimentar qualquer outro equipamento no local e já alimenta a caixa Metro via PoE reverso.

O roteador WI-R1 é o produto indicado pela Computech para alimentar o Xwave Metro.

9  A porta PoE out e suas possibilidades:
Eu fiquei em dúvida de acrescentar este item no artigo, pois podemos criar todo um novo post só sobre ele, mas vou tentar ser sucinto agora, para que eu possa fazer isso no futuro. Vamos lá: em ambos os modelos do Xwave Metro há uma porta PoE out, que não foi pensada e desenvolvida para atender os clientes, mas para alimentar qualquer equipamento que complemente o seu atendimento. Por exemplo, eu mostro no item 10 a utilização dela para atender as esquinas da sua rede, mas ela também pode ser usada para energizar uma placa Wi-Fi e, assim, o assinante teria hotspot Wi-Fi no poste da sua rua (já imaginou? 😎) ou também pode ser ligada a um Xwave PAC Switch para adicionar mais algumas portas de atendimento no fim da rua ou do bairro, enfim as possiblidades são infinitas. A porta PoE out serve para atender qualquer equipamento, que irá tornar o diferencial do Xwave Metro Ethernet ainda maior.

10  Como fazer esquinas usando o Xwave Metro:
Nos eventos que a Computech participa e no atendimento do dia-a-dia, sou muitas vezes questionado sobre a possibilidade do Xwave Metro atender esquinas, onde teria a demanada de mais alguns assinantes e a resposta é sempre positiva, devido ao módulo conversor de mídia. Ligando o conversor de mídia na porta PoE out do switch (conforme a imagem), é possível disponibilizar mais uma porta SFP (😯) para atender as caixas normalmente com fibra óptica na rua daquela esquina.

Xwave Metro + Módulo Conversor de Mídia.
Estas são as 10 perguntas sobre o Xwave Metro mais frequentes feitas pelos clientes seja nos eventos que a Computech participa ou no atendimento comercial. Falando em eventos, aproveite para conhecer o produto pessoalmente no mês que vem. Estaremos dia 10/05/17 em Olinda no FutureISP e dia 31/05/17 em São Paulo na ABRINT.

Para finalizar, peço que conheçam e se inscrevam no canal do YouTube da Computech, onde tem diversos vídeos explicativos do Xwave Metro e muitos outros. Vou aproveitar para deixar o link de alguns aqui embaixo:


Boas instalações!